Logo Creative Society SOCIEDADE
CRIATIVA

Se todos começarem agora, ainda podemos mudar tudo

16 de outubro de 2022
Comentários


"A humanidade começou a consumir tudo, necessariamente e desnecessariamente. Estamos a destruir-nos e, ao mesmo tempo, a culpar os outros. Nós queremos procurar o culpado, encontrar um culpado e pôr as culpas todas em cima dele, mas nunca em nós próprios."

Abrek

Os seus fãs chamam-lhe o Khayyam do século XXI. Blogger e apresentador do projeto "De alguma forma", Abrek tornou-se uma ajuda rápida para muitos no espaço de informação, conhecido como um guardião das tradições e um orador motivacional. Conseguimos ter uma conversa interessante com o Abrek no âmbito do Projeto a Sociedade Criativa no Dubai. Ele falou sobre o que os refugiados enfrentam, a propaganda da violência nos meios de comunicação social e muito mais.

Também falámos sobre como o formato consumista da sociedade está a levar a humanidade à ruína e porque é que o mundo inteiro está a apoiar o novo formato, a Sociedade Criativa.

Abrek o Projeto "Sociedade Criativa"

Abrek falou sobre como e quando percebeu que a humanidade estava a destruir-se a si própria, algo neste mundo tinha corrido mal. Como foi formada a sua corajosa postura de vida:

"Tudo começou recentemente, há cerca de seis anos, quando percebi plenamente que estava a exigir mais de mim do que realmente precisava, como de costume. Na procura de marcas, na procura de publicidade... Tudo aquilo de que não preciso absolutamente".

Observou também que as pessoas públicas são responsáveis pelo que trazem ao público:

"Eu sou responsável por cada postagem que publico. Publicamos a nossa comida, as nossas calças de ganga chiques, as nossas louis vuitton, os nossos Gucci e os últimos iPhones, os nossos Rolexes. Porque é que não publicamos como é que o nosso planeta inteiro está a morrer? …

Atualmente, já somos mais de 7 mil milhões de pessoas no planeta. Percebi que estamos a destruir-nos a nós próprios, estamos a fazer tudo sozinhos sem nos apercebermos disso. Andamos atrás de coisas de que não precisamos. Ao mesmo tempo, causamos danos colossais, não só a nós próprios mas também ao planeta inteiro, a toda a Terra: animais, insetos. Cortamos, comemos e bebemos e não pensamos no dia de amanhã para nós, para os nossos filhos e para os nossos netos.

O planeta inteiro - é a nossa casa

Ele sublinhou que hoje em dia as pessoas raramente pensam no que podem mudar. São arrastados num formato consumista e por detrás de todos os momentos quotidianos não têm sequer tempo para pensar. Têm que se preocupar com o pagamento mensal da renda, serviços públicos, vestir os seus filhos e alimentar as suas famílias. Mas eles simplesmente não compreendem que a nossa casa é uma casa comum para todos. É tempo de pensar, pois já não temos mais tempo.

Quando foi perguntado o que poderíamos fazer, a Abrek respondeu que um certo grupo de pessoas só beneficia da inimizade na sociedade: "dividir e conquistar", enquanto precisamos de construir boas relações entre as pessoas e deixar de nos odiarmos uns aos outros.

O Abrek tem projetos em África onde está a instalar tecnologias que sustentam a vida. E estávamos interessados em ouvir a sua opinião sobre o porquê é que os humanos não fazem isso em todo o lado?

"Há um provérbio: 'a minha casa está do outro lado, e eu não sei nada'. As pessoas não percebem que, se os problemas chegarem a um lado, chegam definitivamente ao outro.

Se cada um no seu país, cidade ou aldeia começarem a fazer isto tudo (introduzir tecnologia, cuidar do ambiente e da vida das pessoas — nota do editor), então nem você nem eu teríamos de ir a África ou vir de África para nos ajudar.

Nós falámos com o célebre videoblogger Abrek

É muito agradável notar que a posição da Abrek está muito de acordo com os objetivos do projeto da Sociedade Criativa:

"É também disto que estou a falar, ou seja, é a mesma coisa... Há certas condições em que as pessoas se podem reunir, e isto é agora mesmo!

Quando lhe perguntaram se podíamos construir uma Sociedade Criativa, ele confirmou: "Podemos, podemos! Podemos fazer tudo, se quisermos".


Faça um comentário